Parque Estadual da Serra de Caldas Novas

Parque Estadual da Serra de Caldas Novas

Nos últimos meses tive a oportunidade de realizar várias viagens a Caldas Novas, mais precisamente para o Rio Quente Resorts e posso dizer que a descoberta do Cerrado foi um grande prazer para mim.

Depois de mais de cinco visitas ao resort, comecei a procurar por passeios diferentes, algum que pudesse me tirar do ambiente controlado e me jogar no meio da vegetação nativa.  Foi aí que encontrei o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas – PESCAN.

parque estadual da serra de caldas novas

O parque está cercado por uma cadeia de montanhas, assemelhando-se a boca de um vulcão, alimentando ainda mais a lenda local que atribui o aquecimento das águas à atividade vulcânica.

A origem da água quente é outra: a atividade geotérmica possível em função dos tipos de rochas que formam o solo, conforme explicado no site CaldasWeb.

parque estadual da serra de caldas novas

Apesar de funcionários muito educados e atenciosas, o PESCAN não está em sua melhor forma devido, aparentemente, a falta de recursos financeiros.  Algumas trilhas estão fechadas devido as más condições, mas as abertas estão demarcadas e limpas.

parque estadual da serra de caldas novas

A entrada custa R$ 5,00 (em 02/2016) e os funcionários estão atentos à visitantes que não retornam após o término do horário.  Atualmente é possível visitar e se banhar em duas cachoeiras, alcançadas através de trilhas fáceis.

Na Cachoeirinha, encontrei um grupo de crianças que parecia ter grande intimidade com o local.  Ao perceberem que estavam sendo fotografados, executavam saltos cada vez mais audaciosos e por fim, esse rapaz mergulhou de cabeça enquanto uma platéia atenta lá embaixo o observava.  Felizmente o salto foi bem sucedido.

parque estadual da serra de caldas novas

Mais adiante, ainda na trilha da Cachoeirinha, fica um dos mirantes do parque com vista para um vale repleto da típica vegetação do Cerrado.

A trilha mais longa que pude percorrer foi a do Paredão que, com cerca de 1Km de extensão, nos leva a um paredão rochoso com uma bela queda d’água e uma piscina natural de águas geladas.

No caminho até lá, passei por outras quedas de menor altura que recebem as águas do Paredão, mas de igual beleza.

parque estadual da serra de caldas novas

Através das águas cristalinas, pode-se ver não só o fundo do rio mas também os peixes e girinos que nadam por lá.  Nas margens é possível avistar algumas pererecas e nas pedras, expostos ao Sol, calangos não faltam.

Por vezes me esgueirei por entre a vegetação para conseguir fazer uma ou outra foto.  Abaixo, uma cascata fora da trilha principal.

parque estadual da serra de caldas novas

As trilhas são limpas e pouco lixo, resquício da presença humana, é encontrado.  Presenciei um dos visitantes, que estava com sua família, pedir para que recolhessem todo o lixo produzido por eles na hora em que saíam da cachoeira.

Finalmente fiquei frente à frente com o Paredão e sua queda d’água.  Ela se mantém mesmo no fim do período chuvoso, alimentando a piscina natural que ultrapassa os dois metros de profundidade.  Segundo os locais, essa mesma piscina, em épocas de chuvas intensas, ultrapassaria os três metros de profundidade.

parque estadual da serra de caldas novas

Belo passeio, não?  Já era para me dar por satisfeito, mas nessa altura eu não sabia que o melhor estava para vir.  No dia seguinte fiquei sabendo de uma trilha percorrida por locais, totalmente fora do roteiro turístico e mais uma vez saí com a câmera em punho.

Nessa oportunidade tive a companhia de dois outros trilheiros.  Em ambientes selvagens é importante ter o apoio de outras pessoas para casos de emergência e também para boas risadas durante a caminhada.

parque estadual da serra de caldas novas

Todo o caminho é realizado no leito repleto de pedras do rio.  Por longas extensões andamos dentro d’água e aqui o perigo são as trombas: chuvas fortes que podem nos pegar de surpresa.  Nesse cenário é fundamental ficar atento aos sinais de elevação no volume d’água para sair rapidinho de dentro do rio.

Nessa rota, melhor do que retirar todas as pedras do caminho, é passar por cima delas e com muito cuidado.  O limo está por toda parte, esperando só uma distração pra te jogar no chão.  Aqui não há corrimões nem indicações da direção a ser seguida.

parque estadual da serra de caldas novas

Para não perder nenhuma beleza pelo caminho, é importante olhar para todos os lados já que o cenário muda radicalmente.  Olhe para trás e surpreenda-se com uma nova paisagem.

parque estadual da serra de caldas novas

O fim da trilha é coroado pela visão de uma queda d’agua de aproximadamente vinte metros de altura.  Rochas cercam a piscina natural com profundidade de mais de dois metros em alguns pontos.

parque estadual da serra de caldas novas

Antes de sairmos fizemos, é claro, o registro de nossa passagem pelo local.  A foto da conquista.

parque estadual da serra de caldas novas

Tags , , , , , , , , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta